"Filme lento e a narrativa complexa" Principais Críticas á Duna Parte 2

É importante ter em mente que as críticas refletem a opinião individual de cada crítico

Por: FATOSDIGITAIS

Críticos e suas críticas a Duna: Parte 2:

Esta lista não é exaustiva e representa apenas uma pequena seleção das críticas publicadas sobre Duna: Parte 2.

Peter Debruge (Variety)

"Uma obra-prima visual que expande o universo do primeiro filme de forma épica.""O ritmo lento pode afastar alguns espectadores."

Owen Gleiberman (Entertainment Weekly):

"Um filme grandioso e emocionante que captura a essência do livro de Frank Herbert." "A história complexa pode ser difícil de acompanhar para quem não conhece o primeiro filme."

David Ehrlich (IndieWire):

"Um triunfo cinematográfico que supera o primeiro filme em todos os aspectos." "O uso excessivo de CGI em algumas cenas pode prejudicar a imersão do público."

Alonso Duralde (TheWrap)

"Um épico de ficção científica visualmente deslumbrante que recompensa a paciência do espectador." "A falta de humor pode tornar o filme cansativo para alguns."

Eric Kohn (IndieWire):

"Uma experiência cinematográfica imersiva que eleva a saga Duna a novos patamares." "A complexa narrativa e a quantidade de personagens podem dificultar a compreensão para novos espectadores."

Justin Chang (Los Angeles Times):

"Uma obra-prima de ficção científica que se consolida como um dos filmes mais ambiciosos e realizados da década." "A duração excessiva pode ser um problema para alguns espectadores."

Ann Hornaday (The Washington Post):

"Um filme visualmente deslumbrante que captura a grandiosidade e a escala épica do universo de Duna." "O ritmo lento e a narrativa complexa podem ser um desafio para alguns."

Clarisse Loughrey (The Independent):

"Um filme majestoso e emocionante que faz jus ao legado do livro de Frank Herbert." "O foco em Paul Atreides diminui o desenvolvimento de outros personagens e subtramas importantes."

Robbie Collin (The Telegraph):

"Uma obra-prima visual que combina grandiosidade épica com intimidade emocional." "A falta de humor pode tornar o filme um pouco sério demais."

Manohla Dargis (The New York Times):

"Um filme épico e ambicioso que recompensa a atenção do espectador com uma experiência cinematográfica única." "O ritmo lento e a narrativa complexa podem ser um obstáculo para alguns."